Filmagem de casamento Santa Catarina - As mudanças nos casamentos realizados na Igreja Católica

Você sabia que os casamentos realizados em Santa Catarina terão algumas novidades? Explicaremos a seguir o assunto e seus impactos na filmagem de casamento em Santa Catarina.  

No mês de julho de 2019, todos os maiores fornecedores envolvidos em casamentos na região de Santa Catarina foram convocados pela Igreja Católica para um curso, que futuramente deverá ser obrigatório, para que os mesmos possam exercer suas atividades em casamentos realizados dentro da Igreja Católica. Esse treinamento teve por objetivo explicar as mudanças que passam a ser obrigatórias na cerimônia religiosa e algumas exigências, as quais todos os fornecedores deverão saber e respeitar. A Gustavo Rosa Filmes esteve lá e explicaremos quais os pontos mais relevantes desse treinamento, principalmente no que diz respeito à Filmagem de Casamento em Santa Catarina.

Sumário

  1. CASAMENTOS EM IGREJA CATÓLICA 

  2. PRINCIPAIS MUDANÇAS PARA OS CASAMENTOS EM SANTA CATARINA

    2.1.  DECORAÇÃO DE CASAMENTO NO ESPAÇO LITÚRGICO;

    2.2.  MESA DA EUCARÍSTIA;

    2.3.  MESA DA PALAVRA;

    2.4.  MÚSICAS DE CASAMENTO;

    2.5. VESTES NO CASAMENTO;

    2.6. ALIANÇAS DE CASAMENTO;

    2.7. ORGANIZAÇÃO DO CASAMENTO;

    2.8. FOTOGRAFIA E FILMAGEM DE CASAMENTO;

    2.9. HORÁRIO;

    2.10. PLAQUINHAS DE CASAMENTO E ANIMAIS;

  3. IMPACTOS NA FILMAGEM DE CASAMENTO EM SANTA CATARINA

CASAMENTOS EM IGREJA CATÓLICA

Antes de mais nada, esse artigo é destinado exclusivamente para os noivos que desejam casar-se em Igrejas Católicas, pois as mudanças foram aplicadas por essa instituição. É importante relembrarmos a essência do casamento e a sua origem, para seguirmos com as atualizações. Os casamentos, atualmente, possuem as mais diversas formas e não necessariamente precisam mais acontecer dentro de uma Igreja, mas o seu surgimento foi a partir dessa tradição religiosa. É preciso ter em mente que o casamento é a celebração do amor e do comprometimento dos noivos perante a sociedade e acima de tudo perante Deus. No casamento católico, os noivos estão perante Cristo, no altar, e perante a autoridade do Padre. Estamos falando sobre um rito sagrado, um sacramento para a Igreja e, por esse motivo, mesmo que as crenças dos fornecedores e convidados não sejam as mesmas, o respeito é fundamental. Todos os presentes estão dentro de um local sagrado, para o catolicismo e seus fiéis. Dentro desse ambiente é preciso ter educação, para agir conforme as regras. O que aconteceu ao longo dos anos foi que o casamento tornou-se um espetáculo, algumas vezes até uma competição para ver qual é mais ousado, moderno, diferente ou glamuroso. A competição se extende aos fornecedores: quem captura as melhores imagens, quais as melhores músicas e posicionamento da orquestra e por aí segue… O problema não acontece ao desejarmos atender da melhor maneira o casal, para que tenham o casamento dos seus sonhos; mas temos um grande problema, quando alguns fornecedores passam o limite existente de respeito e conveniência da instituição. Já presenciamos algumas vezes, os padres terem que interromper a cerimônia (que deveria ser perfeita, lembra?), para conter ações desrespeitosas de algumas pessoas. Esse episódio, além de super desagradável, é uma decepção grande para os noivos, que já tem grandes preocupações no seu grande dia. E por tudo isso, é maravilhoso que a igreja tenha preocupado-se em criar o curso para os fornecedores, afinal, da mesma forma que os noivos precisam fazer o curso e se preparar para o matrimônio, os principais envolvidos também precisam saber como se portar.

Igreja.jpg

PRINCIPAIS MUDANÇAS PARA OS CASAMENTOS EM SANTA CATARINA

DECORAÇÃO DE CASAMENTO NO ESPAÇO LITÚRGICO

A decoração do casamento não pode ser exagerada! Não pode ofuscar os símbolos principais da igreja. A palavra de ordem é sobriedade, o que é bom para as fotos e vídeos, pois facilita o posicionamento dos profissionais. A Igreja pede que excessos sejam evitados, para que os símbolos principais do ambiente não sejam cobertos por decorações exageradas.

No altar, por exemplo, estão a mesa da Eucaristia e a mesa da Palavra e essas devem permanecer em destaque. Não se deve utilizar de um excesso de arranjos e decorações, que cheguem ao ponto de as esconder. Apesar do “excesso” ser um pouco subjetivo - pois o que é considerado extravagante para alguém, pode não ser para outra pessoa – é possível sempre conversar préviamente com a paróquia e confirmar o que é permitido ou recomendado para a instituição, com certeza haverá um meio-termo, que agradará ambos os lados na sua decoração de casamento.

MESA DA EUCARÍSTIA

Não se pode utilizar a mesa da Eucaristia para preenchimento de formulários, apoiar o buquê da noiva ou qualquer outra coisa, que não seja sagrada e faça parte do ritual do casamento. Quando a celebração se findar, os noivos, o assistente qualificado e as testemunhas assinarão a ata do matrimônio em uma mesa especialmente preparada para esse momento, diferente da mesa do altar ou do ambão. Mais uma vez a igreja pede respeito aos seus símbolos sagrados, que são exclusivos para determinados atos religiosos, sendo uma falta de respeito utilizá-los de forma banal.

MESA DA PALAVRA

A mesa da Palavra deve ser usada exclusivamente para as leituras, o salmo responsorial, as sequências e o anúncio pascal. Homenagens e avisos devem ser feitos em outros locais! A mesa da Palavra não é menos sagrada que a mesa da Eucaristia e também está reservada para os seus respectivos ritos. É importante ter em mente que os objetos que estão inseridos dentro do ambiente da igreja perdem a sua característica mudança e se elevam a instrumentos sagrados utilizados pelos membros da igreja para ações religiosas.

MÚSICAS DE CASAMENTO

Uma das maiores pautas do curso de instrução foi com relação às músicas utilizadas na cerimônia do casamento nas igrejas. A música deve ter caráter litúrgico e sacro e ser condizente com o momento da celebração, por exemplo, na eucaristia são tocadas músicas para tal. O curso foi explícito ao dizer: “Fogem dessa índole músicas de filmes, novelas e outros meios, sejam elas do gênero seresta, gospel, gaúcha, sertaneja, etc., mesmo se instrumentais, que inclusive, muitas vezes, lembram situações contrárias à vida conjugal cristã”. Inclusive há um site, no qual os noivos têm acesso a algumas sugestões de repertório musical para cada momento da celebração: www.cnbbsul4.org.br. É bom se certificar se a música está dentro das sugestões e na dúvida contactar o assistente qualificado. Apesar de ser uma medida bastante restritiva, temos que levar em consideração que a Igreja possui um repertório belíssimo de músicas de casamento super emocionantes para todos os momentos da celebração e o principal significado do casamento na igreja, é justamente essa conexão com Deus e os noivos. Ademais, depois da igreja vem a festa de casamento e poderão tocar o tipo de música que desejarem. Além disso, foi feita a recomendação sobre o posicionamento dos músicos, que devem estar voltados para o local onde acontecem os rituais sagrados do matrimônio e não para a assembléia, tendo ciência que isso não é uma apresentação; mas que eles fazem parte da própria assembléia. A preferência da conferação será sempre para os próprios cantores e instrumentistas da comunidade da igreja, na qual celebram o matrimônio. Acrescenta-se às exigências acima, que o repertório deverá ser apresentado antecipadamente ao assistente qualificado da celebração, o que é super bom para que sejam confirmadas que todas as músicas foram escolhidas dentro dos padrões. Quando há a celebração do matrimônio com missa, o curso determinou, também, que não devem ser negligenciados os cantos dos seguintes momentos:

1 - Procissão de entrada;

2 - Salmo responsorial;

3 - Aclamação ao Evangelho;

4 - Pós benção e entrega das alianças;

5 - Comunhão eucarística;

6 - Assinaturas dos documentos;

7 - Saída dos noivos.

E em qualquer outro momento, não poderá haver nem mesmo fundo musical.  Mas já são bastantes músicas, não é mesmo?

Mãos-feed-rezando.jpg

VESTES NO CASAMENTO

Mais uma vez foi reforçado o decoro com as vestes em um ambiente sagrado, tanto dos noivos, como dos convidados e fornecedores. Muitas vezes, as pessoas focam bastante no evento do casamento como uma festa e se esquecem completamente que estarão em um ambiente sagrado, antes da festa. Isso é principalmente voltado para as mulheres: caso desejem utilizar algo mais decotado, é bom levar um enxarpe, por exemplo, para o momento da celebração; além de elegante, é educado. Ademais, alguns fornecedores também podem esquecer-se que estão em uma igreja e se apresentar sem um traje adequado ou um pouco informal, por isso todos devem ter em mente a importância do local onde estarão.

ALIANÇAS DE CASAMENTO

Não deverá haver mais um momento de entrada específico para as alianças de casamento. A sequência de eventos correta para a Igreja é na seguinte ordem: diálogo que antecede o mútuo consentimento; mútuo consentimento dos cônjuges; aceitação e ratificação do consentimento; benção e entrega das alianças. Por esse motivo, para que o rito sacramental não seja rompido, os noivos devem trazer consigo as alianças no dedo anular da mão direita e, após o consentimento, retirá-las para a benção. Após isso, passa-se a aliança para o dedo anular da mão esquerda. É possível apenas que alguém leve as alianças na procissão de entrada, junto com a noiva; mas não no meio da cerimônia. Outro ponto importante é que após a entrega das alianças, todos devem aclamar com palmas, vivas ou canto de louvor. Essa mudança será bem impactante, pois todos estão acostumados com esse momento específico de entrada exclusiva das alianças. Acontece que, muitas vezes, a celebração era interrompida por algo inusitado exatemente neste momento. Presenciamos um casamento em que a criança, que deveria transportar a aliança, era muito pequena e entrou dentro de um carrinho motorisado; esse episódio não agradou muito o celebrante e o cerimonial foi instruído a retirar o carrinho pelo padre, interrompendo assim o momento sagrado para corrigir a organização. Mais uma vez, o que para muitos não é percebido como falta de respeito, para a organização religiosa pode ferir várias coisas sagradas e, por isso, é tão importante a orientação de todos os envolvidos no casamento.